Arquivo mensal: outubro 2012

Assumindo as verdades de nossa alma

Assumindo as verdades de nossa alma

Ter um firme posicionamento manifestando-se a partir das verdades de nossa alma, dentro de um mundo mergulhado em mentiras e hipocrisia, onde todos aprenderam a se esconder em suas próprias ilusões e das quais não querem abrir mão, por temerem perder a pseudo-segurança, é um ato de extrema coragem.

 

Quando nos determinamos a nos firmar em nossas verdades, sem a intenção de convencermos aos outros e sem a pretensão de sermos os donos da verdade, mas com a simples e pura intenção de alma de trazermos para a humanidade um pouco de luz e informação da “realidade divina”, a vida se torna difícil e solitária, pois quando também éramos zumbis, inconscientes e prisioneiros de nossas ilusões, até conseguíamos nos relacionar com o mundo com mais facilidade e isso nos trazia a falsa sensação de pertencer.

 

Porém, quando despertamos do sono em que nossos egos nos colocaram, começamos a sentir o forte impulso de suas almas a nos mostrar a nova direção. Essa direção não é clara e definida, mas ainda assim, nos determinamos a segui-lo, porque não é mais possível continuarmos no caminho das ilusões.

 

Desconstruir ilusões é um ato de bravura, pois elas são a nossa mais “verdadeira realidade”, acreditamos fortemente em tudo o que o ego construiu, em suas crenças negativas e em todas as soluções e estratégias de sobrevivência que ele criou para nos colocar em “segurança”. Apesar de ilusório, esse era nosso “mundo real” e sem essa falsa realidade nos sentimos desprotegidos, desamparados e sem referência, e isso nos torna muito vulneráveis e nos leva a questionar se o caminho da alma é realmente o melhor e se existe de fato, pois este caminho é apenas mostrado para nós através de sensações e intuições que, quando estamos banhados nessa força, são totalmente reais, mas quando nos desconectamos desse momento sublime e voltamos a pisar em nossa falsa vida, as dúvidas tomam conta de nosso ser. É um caminho solitário e sem nenhuma garantia.

 

Despertar a consciência é a condição mais divina que nos acontece na vida, mas até que nos firmemos nessa condição e nos acostumemos com o caminho da alma, passamos por muitas resistências e armadilhas do ego, que faz de tudo para cairmos, sofrermos e nos perdermos, criando e atraindo uma infinidade de condições para nos fazer sofrer e acreditar que o caminho da alma é ilusório e perigoso. Nos momentos em que o ego consegue nos colocar em situações de dor e pânico, realmente questionamos se devemos mesmo seguir adiante, pois nossa mente fica perturbada e começa a desacreditar tudo o que, em outro momento, era a pura verdade para nós.

 

Entre todos os atropelos que o ego cria para nos fazer desistir, o que mais nos coloca em pânico é quando ele nos deixa expressar as verdades de nossa alma, sem agir contrariamente e, diante dessa expressão, somos colocados frente a situações e pessoas que aceitam as verdades da alma conforme as manifestamos e se confortam ao estarem dentro da energia que vibramos na verdade de nossa alma. Nesse momento, somos agraciados pela força Divina, pois as energias que nos envolvem são sublimes e nos fazem entrar na força da verdade manifestada e somos levados às esferas de luz e somos conduzidos a entrar em sintonia com dimensões de frequências elevadas, entrando em expansão de consciência, e tudo se mostra perfeito, verdadeiro e único. Nada temos a questionar, o outro sente a força das verdades de sua própria alma que se identificam com as verdades da nossa e isso o fortalece e, naquele instante, tudo é luz, verdade e pureza de alma.

 

Neste ponto podemos ver, sentir e perceber claramente as mentiras e conflitos que o ego criou e isso expande ainda mais a nossa consciência. Tudo é perfeito, nada temos a contestar, a duvidar, nada pode nos tirar do poder dessas verdades, tudo fica divinamente perfeito. Porém, como este estado divino não é sustentado por todo o tempo, por vivermos mergulhados na dualidade – mesmo que nós estejamos mais acostumados a nos sustentarmos nesse lugar de equilíbrio e nos mantenhamos mais conectados -, a outra pessoa, que não está acostumada a esse estado de poder pessoal, começa a se inquietar pelo barulho que seu ego começa a fazer, trazendo dúvidas e medos à pessoa, para que ela saia imediatamente do estado alcançado.

 

Quando isto acontece, que pode ser no momento ou em horas ou dias depois do ocorrido, finalmente, o ego da pessoa vence e a coloca em sérias dúvidas quanto ao que ocorreu e quanto às verdades que ela descobriu em seu inconsciente, que no momento da expansão dentro da verdade de sua alma, eram a mais pura e real de todas as suas verdades, mas quando seu ego a leva a entrar em situações que ativam seus medos, a pessoa questiona aquela realidade e se entrega novamente ao poder de seu ego, o qual passa a querer nos atacar (a nós, que ajudamos a pessoa a acessar suas verdades), a nos confrontar, tentando provar sua “pseudo-verdade”, querendo provar a “falsidade” de tudo o que afirmamos com toda a propriedade e força de nossa alma para a pessoa. O ego da pessoa toma conta da situação e passa a nos desafiar. Porém, nos mantemos muito firmes na força de nossa alma, e isso nos conduz a perceber o quão difícil é sermos “portadores da verdade”, dentro de um mundo tão prisioneiro das mentiras e ilusões autocriadas.

 

Aqui entramos em contato com um pouco mais de nossas crenças ocultas mais profundamente em nosso inconsciente, que se manifestam naturalmente, dizendo-nos que não vale a pena sermos contrários ao que o mundo espera de nós, que estamos correndo sérios riscos de sermos ridicularizados ou rejeitados por todos se prosseguirmos nesse caminho da verdade da alma. Ao percebermos isso, sentimos a força do medo que sempre esteve em nosso encalço durante toda a nossa vida, fazendo-nos fugir de nossa missão, mas, apesar de sentirmos esse medo, não nos deixamos intimidar e não recuamos em nossa escolha, pois já estarmos tão firmes em nosso propósito de vida, em trazermos a força da verdade divina para ser manifestada aqui na dualidade, que mesmo com a tristeza da constatação de que nosso caminho é difícil e de que não seremos “amados” por trazermos a verdade, ainda assim, uma força cresce em nosso coração e nos firmamos ainda mais em nosso propósito, sem temer o que irá nos acontecer.

 

Não nos importamos mais se seremos vistos de forma distorcida, se não seremos compreendidos em tudo o que fizermos em nossa vida, na interação com o mundo, seja na vida familiar, profissional, amorosa e nos relacionamentos gerais. Mas sentimos certa tristeza por tomarmos plena consciência de que nossa real missão -ser portadores da verdade-, apesar de maravilhosa, nos trará consequências dolorosas porque enfrentaremos a contrariedade, o ódio, a rejeição e os ataques de muitos egos que não querem que os tiremos de seu poder, quando oferecemos às pessoas as verdades divinas de sua alma. Porém, quando aceitamos a nossa missão, independentemente do que ela nos traga de dificuldades, o Universo nos favorece, pois estamos ajudando a gerar energia que o move e, com isso, as dificuldades não passarão de meras “pedrinhas em nosso caminho”, e continuaremos firmes, seguindo com a força de nosso coração.

 

Fonte-www.stum.com.br/Teresa Cristina Pascotto
Por Mavi Hostettler/www.essencia.ning.com
imagens Internet

SAIBAM QUE O COSMOS É TÃO DIVERSO E INTRINCADO QUANTO CADA UMA DAS ALMAS QUE ESCOLHE ENCARNAR NELE

 

SAIBAM QUE O COSMOS É TÃO DIVERSO E INTRINCADO QUANTO CADA UMA DAS ALMAS QUE ESCOLHE ENCARNAR NELE
Mensagem dos Guias Angélicos
Canalização: Taryn Crimi
Em 25 de outubro de 2012
Hoje gostaríamos de focar sua atenção na diversidade que existe neste vasto multiverso.
Pediram-nos para pôr em palavras o que é diferente de vocês.
Claro, há um número infinito de mundos que existem.
Alguns são similares ao seu, porém, há um número muito maior de mundos que são muito diferentes desse em que vocês existem.
Vamos falar de mundos que não têm “livre arbítrio” no mesmo sentido daquele que vocês têm, mundos que não existem em fisicalidade, a quinta dimensão, muitos que não existem em dualidade, mas em triality, e ainda outros mundos que existem dentro de mundos.
Comecemos com as “zonas sem livre arbítrio”.
Esses mundos são um pouco diferentes do seu.
Quando vocês encarnam num mundo que permite o livre arbítrio, há muito mais espaço para a criatividade assim que vocês encarnam.
No mundo em que vocês vivem vocês decidem sobre certas lições em que gostariam de se focalizar; elas podem incluir, mas não são limitadas a carência, separação, julgamento, aceitação, amor-próprio, confiança e saúde, apenas para citar algumas.
Vocês também planejam quem serão os “personagens principais” em sua vida.
Normalmente vocês escolhem almas a quem vocês se acostumaram; vocês tiveram muitas vidas juntos e continuam a encarnar juntos, cada vez fazendo papéis diferentes para aproveitar ao máximo a experiência.
Vocês formam um “projeto” ou um “esquema” dos tipos de experiências que vocês gostariam de ter; grandes lições que vocês gostariam de explorar, mas há muita improvisação em uma encarnação com “livre arbítrio”.
Vocês têm a capacidade de alterar seu contrato de alma a qualquer momento.
Se vocês escolherem não mais focar sua atenção em uma questão ou lição em particular, vocês têm a capacidade de escolher outra experiência.
Vocês sempre têm a capacidade de fazer uma nova escolha assim que encarnam num mundo de “livre arbítrio”.
Entretanto, há mundos que não operam sob as mesmas “regras”.
Claro, isto é pela escolha, o que, por si só, já permite o livre arbítrio.
A diferença está na real flexibilidade da encarnação.
Quando a alma “mapeia” o que ela gostaria de experimentar e com quem ela gostaria de experimentar, não há desvio nessa encarnação “sem livre arbítrio”.
Essas vidas em um sentido são “roteirizadas” por vocês.
Claro, vocês ainda têm o livre arbítrio de escolher o que vocês gostariam de experimentar antes de encarnar e, de fato, o planejamento é muito mais profundo porque não há flexibilidade quando vocês encarnam nesses mundos.
Entretanto, assim que a alma está encarnada é muito mais parecido com um papel em um filme.
Vocês são ambos, diretor e ator, mas vocês não têm que improvisar no caminho como o ator.
Seu “roteiro” é o que vocês experimentarão.
Nós concordaremos que é praticamente impossível não ter livre arbítrio, porém nessas encarnações o livre arbítrio da alma está somente disponível quando ela está escolhendo o que experimentar; tomada a decisão, então é como a vida irá se desenrolar.
Outro mundo que gostaríamos de abordar é o de Triality.
Todos vocês são familiarizados com a dualidade em que há os opostos polares.
Vocês experimentam dois extremos para toda experiência.
Vocês são livres para experimentar sua realidade da perspectiva que vocês escolhem.
A variedade de emoções disponíveis na dualidade é muito maior do que em outros reinos.
Isto proporciona um tremendo crescimento da alma e permite muito mais criatividade em cada encarnação.
Entretanto, há mundos que não são limitados a apenas dois extremos, há mundos em que a alma tem a capacidade de experimentar a triality.
Fica um pouco difícil nós explicarmos a triality com as palavras que nos estão disponíveis, nosso mensageiro não tem a base necessária para explicar totalmente um mundo de triality; mas na forma mais básica é uma experiência que permite que mais um ponto seja introduzido na experiência.
Na dualidade há dois opostos polares para se experimentar.
Seu mundo também é baseado em “tempo e espaço”.
Na triality há mais um elemento que é introduzido; que é “profundidade” na falta de palavra melhor; mas não da maneira que vocês experimentam-na aqui em seu mundo de dualidade.
Seu mundo é baseado em tempo linear e espaço, do ponto A para o ponto B, sempre movendo “para frente”, dois pontos que, se conectados, formam um círculo.
Seu universo é baseado na forma geométrica do círculo sagrado.
Vocês encontram o círculo sagrado em todo o seu universo, seus planetas, suas estrelas, buracos negros, apenas para citar alguns.
O próximo passo da criação é mudar de dois pontos na circunferência de um círculo para três pontos, o que então cria um triângulo.
Quando os pontos estão em simetria uns com os outros, eles criam o triângulo equilátero.
Um ser cujo mundo existe na triality está baseado na forma geométrica de um triângulo.
A versão tridimensional do triângulo é o tetraedro, um objeto sólido contido em uma esfera, e que expressa a trindade.
Não há diagonais; não há atalhos entre os pontos definidos.
Apesar de parecer um objeto tridimensional, é verdadeiramente multidimensional, e representa a consciência nos planos superiores de realidade em que todas as manifestações são conscientes de sua existência dentro da trindade.
Nós entendemos que a explicação deste mundo pode parecer um pouco confusa; entretanto, a triality pode ser resumida como sendo um mundo em que todos os seres que nele encarnam estão cientes da trindade que é expressa através da mente, corpo e espírito, pois todos estão conscientemente cientes de sua conexão.
Eles não experimentam o véu do esquecimento como vocês aqui na dualidade.
Suas experiências são baseadas em como conscientemente equilibrar todos os três aspectos de seu verdadeiro eu em fisicalidade.
Em um sentido, é para isto que todos vocês estão avançando.
Há também mundos que não existem numa realidade física.
Essas encarnações são das dimensões superiores.
Quanto mais rápida é a vibração, mais difícil é manter uma forma física.
Da sexta dimensão para cima não há mais o que vocês chamam de uma forma física.
A vibração é rápida demais para ser contida numa estrutura física densa.
Nós entendemos que é difícil para aqueles de vocês existindo num mundo físico se lembrar de como é nas dimensões superiores que são vazias de forma física; porém, só porque essas dimensões não contêm forma física, não significa que elas são vazias de tudo.
Elas não são apenas buracos negros que contêm uma quantidade sem fim de “nada”.
Nós simplesmente criamos de outras formas.
A forma física é apenas uma das infinitas formas de expressar a criação.
Vocês não podem “ver” o som, mas ele existe no seu mundo e muitos de vocês encontram muito prazer nele.
Também existem muitos espectros de luz que não são “visíveis” na forma física, mas eles estão impactando seu mundo.
Vocês não podem “ver” a velocidade em que alguém está vibrando, mas a vibração tem um grande impacto em seu mundo.
Apesar de parecer que vocês vivem em um mundo físico, há muitas “coisas” que vocês não percebem com seus olhos físicos; entretanto elas têm um grande impacto em sua existência física.
Esses mundos não físicos têm uma superabundância de experiências; nós somente estamos na superfície de nossos breves exemplos do que é possível no não físico.
Algumas de nossas criações são baseadas em formas geométricas, números, energia, som, vibração e tudo isso é tão “real” quanto sua realidade física.
Nós diríamos de nossa perspectiva que esses mundos são “muito mais reais” do que a ilusão da realidade física.
Aquele que percebe a experiência é quem determina o que é “real” e o que “não é real”.
Há também mundos que existem dentro de mundos.
Um perfeito exemplo disto é a Terra Interior, que também é conhecida como Agartha.
Isto num sentido é um mundo dentro de um mundo.
Agartha existe dentro do seu planeta Terra e ressoa com a quinta dimensão.
Há várias “entradas” para Agartha na superfície de seu planeta, mas a faixa em que vocês vibram determinará se vocês perceberão ou não este mundo.
Ele é físico, ele existe no centro do seu planeta, e há habitantes que vivem nesse mundo.
Este mundo tem um sol central, o sol não é uma estrela como o seu próprio sol, porém ele fornece luz e energia para seus habitantes.
Há córregos, rios, relva e um céu.
Aqueles que existem em Agartha cultivam seu próprio alimento e somente utilizam os recursos renováveis que podem ser encontrados dentro do seu planeta.
Há aqueles que são semelhantes a vocês em aparência e também animais que coexistem pacificamente neste mundo interior.
A Terra não é o único mundo que tem habitantes que vivem dentro do planeta, na verdade, a maioria dos planetas de seu universo abriga uma população de almas nos reinos interiores.
Alguns de vocês ficarão chocados ao saber que muitos dos planetas do seu sistema solar abrigam almas em seus centros.
Seus cientistas estão tão entretidos em encontrar vida em outros planetas que imitem exatamente suas condições de vida, que nunca percebem que este somente é um dos ambientes possíveis para a vida.
Há muitos outros ambientes possíveis que permitem vida, tanto físicos quanto não físicos.
Mas vai chegar a hora em que seus cientistas “chegarão lá”.
Agora abordaremos como é a vida nas dimensões superiores de existência.
A vida nas dimensões superiores é bem diferente da sua.
Nós já comentamos como é a vida nas dimensões acima da sexta quando falamos sobre os mundos não físicos.
Muitos querem saber como é a quinta dimensão.
As perguntas frequentemente feitas são:
As pessoas ainda trabalham?
Você ainda tem uma família?
Você ainda tem filhos?
Você ainda mora em uma casa?
Você ainda precisa comer?
Você ainda tem um corpo?
Nós gostaríamos de comentar qual é nossa perspectiva da quinta dimensão.
A primeira diferença que vocês experimentam na quinta dimensão é a manifestação instantânea.
Seus pensamentos não mais têm um adiamento.
Seu foco se manifesta imediatamente.
A razão disto é exclusivamente a faixa em que seus pensamentos vibram; quanto mais rápida a vibração, menor é o “tempo” experimentado.
Em cada dimensão existe uma faixa de frequência; em nome da simplicidade usaremos o exemplo de uma escala de 1-10.
Nem todos que convivem na mesma dimensão vibram exatamente na mesma frequência; um pode estar na faixa mais baixa necessária para experimentar essa dimensão e o outro pode estar na mais alta.
Isto explica por que muitos de vocês ainda são capazes de ver outros ao seu redor e perceber que a vibração deles parece muito mais densa do que a sua, mas vocês dois existem na mesma realidade.
Com isto dito, os sistemas de crença inferiores já devem estar liberados para entrar na quinta dimensão.
Muitos de vocês agora existem na quarta dimensão.
A quarta dimensão é conhecida como uma dimensão transitória em que vocês têm a capacidade de atuar pelas “regras” da terceira dimensão ou de atuar pelas “regras” da quinta dimensão.
Quando se existe na quarta dimensão, o tempo é mais flexível do que é na terceira dimensão; ou devemos dizer que a ilusão de tempo é muito mais flexível?
Junto com a manifestação instantânea na quinta dimensão, há outras diferenças na experiência também.
A mais notável é a experiência incrível de paz, tranquilidade e amor.
Muitos de vocês estão começando a tocar esses estados felizes mesmo que por uns poucos momentos.
Conforme vocês se elevarem em frequência, vocês experimentarão períodos mais longos de felicidade.
Muitos querem saber se eles ainda precisarão “trabalhar” na quinta dimensão.
Nós diríamos que sim, vocês ainda terão “empregos”, porém todos realizarão o “trabalho” que eles adoram.
Há aqueles que adoram cantar, dançar, fazer jardinagem, pintar, cozinhar, construir, colecionar, ensinar e assim por diante.
Ninguém é forçado a fazer um trabalho que não gosta simplesmente pela sobrevivência.
Todos contribuem com o bem maior do coletivo, todos são livres para compartilhar os talentos que eles consideram mais prazerosos de ofertar.
A necessidade de dinheiro não existirá mais porque a manifestação é instantânea.
Todas as suas necessidades serão preenchidas e não há mais o impulso de “consumir” apenas para mostrar suas posses para os outros.
Com toda certeza os seres pentadimensionais ainda procriam, eles ainda têm unidades familiares e eles ainda apreciam os amigos.
Nós diremos que vocês terão até mais amigos na quinta dimensão porque ninguém é visto como um “inimigo”.
Os seres pentadimensionais têm a capacidade de se comunicar telepaticamente e, portanto, realmente não existem “estranhos”, pura e simplesmente amigos que vocês ainda não conheceram.
Os seres pentadimensional ainda vivem em casas; elas parecem um pouco diferentes das suas.
Elas são construídas para a sustentabilidade e são mais ecológicas.
Lembrem-se de que não há mais necessidade de ter muito só para mostrar, pois todos são felizes por ter exatamente o que precisam.
Muito menos tempo é gasto na manutenção de suas necessidades básicas de sobrevivência e muito mais tempo resta para vocês explorarem as experiências que lhes trazem maior alegria.
Nós apenas mencionamos uma fração dos diversos mundos que existem neste vasto multiverso.
Saibam que o cosmos é tão diverso e intrincado como cada uma das almas que escolhe encarnar nele.
Esperamos que vocês tenham achado esta mensagem agradável e que tenhamos de algum modo servido a vocês hoje.
No amor e na luz,
Nós somos seus Guias Angélicos.
Copyright©2012 por Taryn Crimi. Todos os direitos reservados
Você pode compartilhar e redistribuir este material contanto que não conteúdo seja copiado integralmente e sem alteração, seja distribuído gratuitamente e esta nota de direitos e o link sejam incluídos: http://angelicguides.wordpress.com/
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com
Respeite todos os créditos

O drama cosmico do Criador

Seja terapeuta de si mesmo!


“Pedi e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei e abri-ser-vos-á. Porque aquele que pede, recebe; e o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á” (Jesus Cristo)

Poucos conhecem – ou acreditam -, mas existem tratamentos sutis e energéticos à base de pensamento elevado. Terapia que não onera o bolso de ninguém e proporciona a quem acredita, benefícios em relação ao objetivo desejado. No mundo atual, cada vez mais somos induzidos à estratégia da propaganda, ou seja, ao jogo da sedução que exerce um poder hipnotizador sobre nossas mentes. Muitas vezes, sem percebermos, consumimos por indução ou ficamos à mercê de publicidades, que através da mídia, encarrega-se de receitar-nos fórmulas da felicidade baseadas na prática e modelo consumista.

Manipulados psicológicamente e absorvidos pelo poder de sedução que dita regras de comportamento social estimulado pela moda, vamos, gradualmente, nos despersonalizando e perdendo a capacidade de discernir sobre o que é mais importante ou prioritário para a nossa vida.

Desta forma, nos aproximamos da dimensão da matéria e seus prazeres imediatos e supérfulos, e nos distanciamos de nossa natureza espiritual, que quando associada às experiências da realidade física, nos proporciona aprendizados que visam o amadurecimento do espírito.

A robotização proporcionada pelo poder de sedução do sistema alicerçado no materialismo, gera indivíduos alienados de sua condição espiritual, já que o pensamento imediatista destas pessoas gira em torno de um conjunto de valores – e crenças – que determina uma tendência fundamentada em interesses lucrativos.

“Fugir” desta robotização, ou seja, do processo de despersonalização em massa, não é simples, pois exige do indivíduo, coragem para ir na contra-mão de poderosos interesses. E desafiar o poder exige uma indispensável ferramenta: a lucidez.

Gerada pelo poder de sedução do modelo materialista, a robotização, além de despersonalizar o indivíduo e agir sobre a sua autoestima, ajuda a criar distâncias entre as camadas sociais. Nesse sentido, imperceptívelmente, a discriminação torna-se fator de geração de doenças pelo processo de somatização, pois, sentir-se excluído ou incapaz de atingir um patamar social que garanta uma melhor qualidade de vida para si e seus familiares, é motivo de desequilíbrios na esfera psíquico-espiritual.

Portanto, a “terapia gratuíta” que poucos conhecem ou praticam no mundo ocidental, pode ser a prece espontânea. Ao elevarmos sistemáticamente o nosso pensamento, geramos internamente uma energia compatível com o objetivo de nossas intenções, ou seja, a transparência das nossas intenções é regra básica para determinar – ou não – a alteração de nossa sintonia ou a mudança de nossa atitude diante da vida.

Outra opção de tratamento gratuito é a meditação, que quando elevada em forma de pensamento, possui a mesma qualidade terapêutica – ou energético-curativa – da prece espontânea.

Como sugestão, tanto numa opção quanto na outra, podem ser utilizadas palavras-chave de significado transcendental como “força, serenidade e equilíbrio”, entre outras.

Força significa reação a uma situação estabelecida (o problema em si). Serenidade nos remete à busca por paz interior. Equilíbrio, por sua vez, une os dois significados anteriores em busca do discernimento e lucidez para entender o que se passa consigo, até o indivíduo atingir ou retomar o equilíbrio psíquico-espiritual.

Na prática da sugestão, ao mentalizarmos as três palavras-chave em nossa prece ou meditação, podemos ouvir uma música que eleve a alma, ou se preferirmos, simplesmente o silêncio.

No entanto, é importante mentalizarmos um ambiente de paz e harmonia. Por exemplo, a visualização do sol, do mar ou de uma cachoeira, representam a força da natureza. A serenidade pode ser representada por um campo florido ou um lago iluminado pelo sol ou lua cheia. O equilíbrio, representado pelo ecossistema que relaciona-se à harmonia da imagem visualizada como um todo.

No conjunto da imagem, podemos visualizar no fundo o mar iluminado pela energia solar, e mais à frente, um campo coberto de flores e esvoaçantes borboletas. Ao mesmo tempo que visualizamos – de olhos fechados – essa harmoniosa imagem, repetimos mentalmente: “força, serenidade, equilíbrio”…

Entre os espiritualistas, independente de religiões, existe uma orientação natural que nos remete a um poder oculto (fé) que existe em cada um de nós. Poder que quando despertado, é capaz de transformar realidades.

Contudo, contrário à essa orientação natural, existe um dito popular que nos remete a um direcionamento materialista associado ao mundo dos negócios e do lucro: “Tudo que de graça é dado, é pouco valorizado”. Mesmo assim, vale a pena aproveitar a energia do universo acessível a todos os seres inteligentes e ser terapeuta de si mesmo…

A sugestão, porém, não tem a pretensão de induzir ninguém a uma ideologia, mas chamar a atenção para o discernimento necessário no sentido de cada indivíduo valorizar o que é importante para a sua vida. E a partir dessa clareza de intenções, priorizar ações em benefício de seu crescimento integral que envolve a saúde física e mental, o profissional, o social e o espiritual.

Fonte – www.flaviobastos.com
/www.essencia.ning.com
imagens Internet

SAUL – NÃO HÁ MAIS QUALQUER NECESSIDADE DE VOCÊS CONTINUAREM OS CICLOS DE REENCARNAÇÃO

Posted: 17 Oct 2012 07:22 AM PDT

NÃO HÁ MAIS QUALQUER NECESSIDADE DE 
VOCÊS CONTINUAREM OS CICLOS DE REENCARNAÇÃO
Mensagem de Saul
Por John Smallman
Em 17 de outubro de 2012
A programação divina para a humanidade despertar foi estabelecida no instante em que sua aparente separação da Realidade aconteceu.
Seu Pai não poderia deixá-los se afundar nos mistérios da irrealidade que vocês inventaram, e que se apresentava como real para sua mente coletiva, sem garantir que vocês jamais se perdessem permanentemente nela.
A Luz do Amor d’Ele foi instalada seguramente em cada indivíduo que escolheu ir com o coletivo para a ilusão e o calendário para seu retorno foi definido, mas com um grau enorme de flexibilidade nele por causa de quaisquer desvios e distrações que vocês pudessem escolher se engajar enquanto trilhavam seu caminho para casa.
Durante os éons de tempo ilusório e espaço, vocês todos, sem exceção, suportaram muito sofrimento pessoal, desnecessário – digamos, e também impuseram muito sofrimento aos outros.
Ele era ilusório, ele era autoinfligido e nunca aconteceu.
Mas o poder de sua imaginação coletiva é enorme e vocês tiveram sucesso em se convencer de que sua história de fraude e traição e de violência uns contra os outros é absolutamente real.
De fato tão real que, para tornar possível o despertar da ilusão, é essencial que vocês mudem completamente as atitudes que ela formulou e encorajou e que liberem todas as crenças que de alguma forma estão em conflito com sua capacidade inata, desejo e intenção de oferecer amor incondicional e indiscriminado a todos os seres sencientes.
É inata porque, como toda a criação de Deus, vocês foram criados de Amor com Amor, a energia que os empodera e motiva em todos os momentos de sua existência eterna.
Perdoar-se por todas as ofensas e sofrimento que vocês parecem ter provocado a si ou aos outros é o primeiro passo que vocês precisam dar.
Então vocês precisam perdoar todos, sem exceção, que vocês creem que de alguma forma os prejudicaram ou ofenderam.
Muitos de vocês têm trabalhado nisso por muitas vidas terrenas e agora também trabalham como Portadores da Luz e Mostradores do Caminho porque, tendo superado muito do que a maioria da humanidade precisa tratar individualmente, vocês estão idealmente preparados e qualificados para assistir outros em seu processo de despertar – simplesmente por demonstrar amor, compaixão, aceitação e perdão em sua vida cotidiana.
Com o campo de Amor Divino intensificado cercando o planeta e envolvendo cada um de vocês também há uma superabundância de assistência disponível e constantemente oferecida a vocês por aqueles dos reinos espirituais para garantir que vocês tenham sucesso na liberação dessas crenças inflexíveis que os têm servido tão lamentavelmente.
Se sua intenção é despertar – e a intenção de cada um de vocês é despertar, mesmo se esta intenção atualmente esteja oculta abaixo de seu nível de consciência consciente – então vocês terão sucesso, porque está divinamente decretado.
Somente uns poucos, que ainda sentem que não estão preparados ou dispostos a sair da ilusão, permanecerão adormecidos.
Mas, quando eles estiverem prontos para dar esse passo, eles, como vocês, receberão todas as oportunidades para despertar e então eles despertarão.
Ninguém deixará de despertar, ninguém ficará perdido, porque a Realidade não aceita nenhuma perda.
Sabendo, como vocês sem dúvida sabem, que vocês são seres divinos tendo uma experiência ilusória, então também é impossível vocês não saberem que sua existência é eterna.
A morte é apenas um conceito ilusório que vocês inventaram para descrever a situação que ocorre quando vocês tomam a decisão de dispensar seu veículo físico e reentrar nos reinos espirituais.
Até muito, muito recentemente isto envolvia uma autoavaliação da vida que vocês tiveram na ilusão na presença de seus guias amorosos e compassivos, para habilitá-los a escolher e planejar mais uma vida na Terra que lhes proporcionaria lições que vocês escolhiam que se apresentassem.
Dentro da ilusão, vocês tiveram oportunidades abundantes de explorar e examinar as crenças e opiniões que fazem parte do caminho de vida que vocês escolheram antes da sua encarnação no plano terreno para experimentar e elas constantemente se apresentaram a vocês com as lições experimentais apropriadas.
Mas frequentemente vocês não conseguiram aproveitar totalmente essas oportunidades de aprendizagem porque a energia da ilusão é densa e escura demais.
Agora, por causa de todo o trabalho que vocês fizeram durante éons e por causa da ajuda intensa e abundante que vocês recebem do campo de Energia Divina envolvendo a Terra e porque seu Pai – que jamaisexigiu, obrigou ou impôs sofrimento de qualquer tipo em vocês – quer ver seu sofrimento chegar ao fim e não há mais qualquer necessidade de qualquer um de vocês continuar esses ciclos de reencarnação que são uma parte obstinada, difícil e dolorosa de toda a ilusão.
Vocês finalmente estarão completamente livres – livres do exílio que vocês escolheram suportar dentro do pesadelo em que a ilusão se transformou – quando despertarem, como vocês mais do que certo despertarão.
Com muito amor, Saul.
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com/
Respeite todos os créditos

Como se preparar para a transição!

A vida é pura energia. Estamos envolvidos -a começar pelo nosso corpo físico- por estruturas energéticas que formam tudo o que percebemos ou deixamos de perceber através dos sentidos comuns. Desde o microsistema ao macrocosmos, a vida pulsa numa profusão inimaginável de mecanismos energéticos que se interconectam.

 

Portanto, a energia, seja ela densa ou sutil, está permanentemente presente na vida humana. É a “matéria-prima” que forma tudo o que existe no universo, mesmo aquilo que foge ao conhecimento da ciência, ou seja, o desconhecido.

 

A aura humana, por exemplo, é uma prova científica da existência de uma energia imaterial que envolve cada indivíduo. As suas cores revelam o estado mental, emocional e consciencial que nos identifica diante do universo.

 

Atualmente, a humanidade encontra-se num momento existencial em que várias previsões se cruzam em um mesmo ponto de intersecção, que aponta o início do terceiro milênio como uma fase de transição do planeta Terra e sua gente. Mas uma passagem de energia densa para uma energia sutil e depurada no sentido espiritual.

 

Nesta direção, torna-se imprescindível para o ser humano, elevar a sua frequência vibratória para adequar-se à fase de transição e estar de mente e coração abertos para não sofrer as consequências de sua própria energia em contato com a transmutação energética anunciada pelas previsões.

 

Para tal, o indivíduo deve praticar a elevação de seu pensamento -que é uma fonte de energia-, através de opções simples, sem a necessidade de técnicas complicadas que podem limitar a ação de pessoas que pertencem a grupos considerados incapacitados para seguirem determinadas orientações.

 

Entre algumas opções de fácil acesso, temos a prece espontânea como se referem os espíritas, ou seja, uma forma simples e eficaz de elevar o pensamento direcionado para o bem e o amor fraternal, como se estivesse dialogando com o Criador.

 

Através deste canal de contato, a pessoa pode, inclusive, emitir pensamentos de perdão, autoperdão, gratidão, proteção a si e ao outrem, entre outros. A simplicidade e abrangência desta opção permite que o campo de irradiação emitido pelo agente, beneficie familiares, amigos, conhecidos ou pessoas desconhecidas. Desta forma, o indivíduo, que pela sua limitação não tem condições de orar ou de seguir a orientação de uma técnica que exige maior grau de dificuldade, será também beneficiado. Não devemos fazer o bem sem olhar a quem, como nos informa o sábio dito popular?

 

A seguir, resumo em poucas palavras, entre tantas que existem ao nosso dispor, uma dica de como iniciar a prática de elevação do nosso pensamento através da prece: “Pai, fonte de amor, verdade, justiça e sabedoria. Jesus Cristo, nosso exemplo maior e iluminado caminho”. Segue aquilo que você deseja para si, para o outrem e para o nosso planeta, de uma forma sincera, objetiva e pura, como deve ser a sintonia com a espiritualidade superior.

 

De um jeito simples e natural, você pode -e deve- elevar o seu pensamento regularmente, sempre pedindo através da energia do amor abrangente, incondicional, o equilíbrio e o discernimento necessários para acompanhar a fase de transmutação energética do planeta Terra e sua gente. Fazendo isso com regularidade, você observará em si mesmo uma alteração em sua própria energia, que estará mais harmonizada pela elevação de sua frequência vibratória.

 

No entanto, a sensação de paz interior decorrente da prática do pensamento elevado, exige vigilância da pessoa em relação às suas atitudes do dia a dia, pois, a teoria precisa estar aliada à pratica para ser eficiente em seus propósitos. E quando nos tornamos intermediários na função de irradiar a nossa energia elevada às pessoas que se encontram mental e fisicamente incapacitadas, a nossa responsabilidade é ainda maior.

 

Se tivermos disciplina e formos vigilantes com os nossos pensamentos e atos, a tendência é “incorporarmos” na nossa rotina de vida, a frequência vibratória elevada, o que nos manterá num bom nível de lucidez e de paz interior.

 

Ao manter a sintonia elevada, estaremos receptivos às mudanças previstas, cujo processo não será traumático para a humanidade, mas sutil, envolvente e insensível para quem não estiver preparado para vivenciar uma nova era que surge no alvorecer do milênio.

 

Fonte-www.stum.com.br/Flavio Bastos
Por Mavi Hostettler/www.essencia.ning.com
imagens Internet
******Este trabalho pode ser compartilhado com outros
sites desde que os direitos autorais sejam
respeitado citando a fonte de pesquisa / autor e o link
Obrigado por incluir o link de nosso website quando
compartilhar este trabalho com outros.

Por que continuar a busca? Do livro: Conversando com Deus

Deus – Você pode achar fácil esse negócio de ser Quem Realmente É, mas trata-se do maior desafio que enfrentará em sua vida. De fato, pode nunca conseguir. Poucas pessoas o conseguem. Não no curso de uma vida – ou de muitas.

Neal – Então por que tentar? Para que se desgastar? Quem precisa disso? Por que não levar a vida como se fosse o que parece ser – algo sem sentido que não conduz a parte alguma, um jogo que você não pode perder não importa o que faça; um processo que, em última análise, tem o mesmo resultado para todos? O Senhor diz que não existe inferno, ou punição, que não há como perder. Então por que tentar ganhar? Qual é o incentivo, já que é tão difícil chegar onde o Senhor diz que estamos tentando ir? Por que não podemos simplesmente seguir o ritmo que a nossa natureza nos impõe, relaxar em relação a toda essa história de Deus e “ser Quem Realmente Somos”?

Deus – Você está mesmo frustrado…

Neal – Sim, estou cansado de estar sempre tentando, para no final o Senhor me dizer que tudo será muito difícil e apenas uma pessoa em um milhão consegue.

Deus – Sim, Eu percebo que você está cansado. Deixe-Me ver se posso ajudá-lo. Eu gostaria de salientar que você já seguiu o ritmo que a sua natureza lhe impôs. Acha que essa é a sua primeira tentativa de fazer isso?

….

Deus – E então você faz uma pergunta muito boa. Por que continuar? Por que começar a trilhar esse caminho? Que benefício isso trará? Qual é o incentivo? Qual é o motivo? O motivo é ridiculamente simples.

NÃO HÁ OUTRA SAÍDA.

Neal – O que o Senhor quer dizer?

Deus – Quero dizer que você não tem outra escolha. De fato, há outra atitude que possa ter. Fará o que está fazendo pelo restante da sua vida – como fez desde que nasceu. A única dúvida é se o fará consciente ou inconscientemente.

Veja bem, você não pode desistir da jornada. Começou-a antes mesmo de nascer. Seu nascimento é apenas um sinal de que a jornada começou. Portanto, a pergunta não é: “Por que começar a seguir esse caminho?” Você já começou a segui-lo. Fez isso com o primeiro batimento do seu coração. A pergunta é: “Desejo seguir esse caminho consciente ou inconscientemente? Como a causa de minha experiência, ou o seu efeito?”

Durante a maior parte de sua vida você viveu sob o efeito de suas experiências. Agora está sendo convidado a ser a causa delas. Isso é conhecido como viver com consciência, caminhar com consciência.

Como Eu disse, agora muitos de vocês percorreram uma grande distância, progrediram muito. Então você não deveria achar que depois de todas essas vidas “só” chegou até aqui.

Alguns de vocês são criaturas muito evoluídas, extremamente conscientes de seus Eus. Você sabe Quem É e o que gostaria de tornar-se. Além disso, sabe como ir daqui para lá.

Isso é um ótimo sinal. Uma indicação certa.

http://tudoeoamor.blogspot.pt/2012/09/por-que-busca.html#!/2012/09/por-que-continuar-busca.htm

GRANDE TRIBULAÇÃO, APOCALÍPSE, JUÍZO FINAL E FIM DO MUNDO

A partir da perspectiva da religião, em especial a cristã, as palavras Grande Tribulação, Apocalipse, Juízo Final e Fim do Mundo possuem o potencial de gerar sentimentos de incerteza, apreensão, mal estar, suspense e medo. São conceitos e percepções que, geralmente, evocam egrégoras densas e sombrias.

Os horrores projetados para o Fim do Mundo pela crença religiosa são realmente assustadores! Quem leu Divina Comédia, escrita por Dante Alighieri – que para mim possui pouco de divino e menos ainda de comédia – pode ter uma idéia mais aprofundada do que estou a dizer. O livro satisfaz a tática religiosa de usar o medo – de Deus, do diabo, do inferno, da morte, do sofrimento, do desconhecido – como instrumento de domínio e manipulação.

A religião cristã entende que a humanidade é “geneticamente” culpada, o que justifica a necessidade não só de perdão como também de julgamento, punição, sofrimento, condenação e morte.

A partir da concepção religiosa, a Grande Tribulação, Apocalipse, Juízo Final e Fim do Mundo geralmente são considerados como procedimentos empreendidos unilateralmente por Deus, o que o torna ainda mais assustador. Toda a humanidade, querendo ou não, será julgada pelo Deus e pelos critérios da crença cristã sendo conduzida aos seus respectivo e eterno domicílio que poderá ser paradisíaco ou infernal.

A religião, via de regra, depende da desgraça para se justificar, impor e sobreviver. É partidária da tese de “quanto pior melhor”, ou seja, quanto mais desgraçada é a realidade social mais aparentemente coerente e convincente parece ser o discurso religioso. É na utilização da cultura da escassez – falta de dinheiro, saúde e conhecimento – que as religiões e muitos de seus líderes religiosos constroem seus impérios. Para os que estão imersos, respiram e transpiram tais hipnóticos e alienantes ambientes religiosos a percepção de tal fato é, praticamente, impossível. Neste caso é preciso distanciar-se para melhor enxergar…

Projetar o Fim do Mundo como um acontecimento horripilante e desesperador, portanto, ajusta-se perfeitamente aos interesses da religião que possui no medo o seu melhor instrumento de controle.

Entretanto, além da tradicional concepção religiosa há também outras formas de interpretar a história, entre elas, interpretá-la do ponto de vista da Espiritualidade, ou de uma teologia da Esperança.

Quando medito sobre o significado do Juízo final, o que se descortina em minha mente é o Apocalipse (Revelação) restaurador. Trata-se da possibilidade de finalmente experienciar, como espécie, a Revelação plenificada, ou seja, protagonizarmos a passagem da consciência da escuridão para a iluminação, da cegueira para a plena visão, da insensatez para a lucidez, do sono hipnótico para a racional vigília, o que colocará a humanidade irreversivelmente diante do Portal do Amor, da Verdade e da Vida.

O Juízo Final é, portanto, um feito humano em harmonia com a Mente Crística. Será a cura final ao invés de um acerto punitivo por mais que se creia que a punição seja merecida e necessária.

Em verdade, o Juízo Final precisa ser entendido como sendo um processo de avaliação certa e definitiva. Significa que todas as pessoas finalmente virão a compreender o que tem valor e o que não tem. A partir deste momento a capacidade de escolher será dirigida racionalmente, as oscilações entre a vontade livre e o desejo condicionado e aprisionado não mais existirão. O novo Céu e a nova Terra nascerão da consciência clarificada pala Luz do Amor Crístico para então ser projetada e plasmada em uma nova dimensão existencial: “Tudo se fará novo”.

O primeiro passo para o Juízo Final, para o pleno exercício da vontade livre, envolve uma seleção entre o falso e o verdadeiro. Este é um processo de separação no sentido construtivo e reflete o verdadeiro significado do Apocalipse.

Diante do advento do Apocalipse – Revelação – todos olharão para as suas próprias criações e escolherão preservar somente o que é bom, o que promove a Vida, assim como o próprio Deus olhou para o que Ele criou e soube que tudo era muito bom. A mente, então, plenamente iluminada passará a repudiar suas criações equivocadas. A vontade humana em unicidade com a Vontade divina desejará tão somente o que for motivado por Amor Incondicional, pela Luz da Verdade, o que vier a promover a plena manifestação da Vida em todas as suas expressões.

Tal tomada de consciência – Apocalipse/Revelação – já emite claros sinais quer na transição da religiosidade para a espiritualidade, nas profundas transformações políticas, nos questionamentos de modelos econômicos, quer no inconformismo diante da maldade seja ela em que nível for.
A “massa critica” que tem experienciado tal expansão de consciência, tal revelação do Amor, da Verdade e da Vida tem crescido exponencialmente nestes últimos anos.

Um Juízo Final gradativamente vai tomando conta da consciência individual e coletiva levando a rever valores, quebrar paradigmas e questionar profundamente o comportamento humano e suas conseqüências nas mais variadas áreas. Enfim, o Juízo Final gerador de uma nova Terra – do Jardim do Éden, da Nova Jerusalém – se aproxima; o que longe de ser motivo de medo, é de exultante alegria.

Longe de caminhar para o início da “Grande Tribulação” estamos, em verdade, caminhando para o seu final. Todo o sofrimento oriundo das escolhas, valores, crenças, formas-pensamento, das criações e construções do ego que separa o ser do Ser estão chegando ao fim. Toda a angustiante historia fruto das criações e construções do ego estão com os dias contados, pois, aproxima-se e cresce a Revelação, o Juízo Final e consequentemente o Fim do Mundo. Do mundo que Jesus disse não fazer parte, não pertencer. Do mundo criado pela mente a serviço da insanidade do ego.

O Fim do mundo longe de ser um momento de morte será um momento de Vida, de renascimento, onde se farão novas todas as coisas. O mundo terminará em alegria, porque é um lugar de pesar. Terminará em paz, porque é um lugar de guerra. O mundo chegará ao fim quando o seu sistema de pensamento for completamente revertido.

A minha teologia é da esperança, eu contemplo a nova Terra e o novo Céu nos quais habitam o amor, a justiça, a paz e a alegria. Sei, entretanto, que esta é uma realidade que virá a ser a partir de uma tomada de consciência, de uma justaposição de nossa mente com a mente Crística.

A Grande Tribulação já foi absurdamente grande, quer no tempo quer no espaço. O Juízo Final encontra-se cada vez mais claro e evidente na consciência individual e coletiva; questionamentos sobre crenças, valores e escolhas geradores de sofrimento e morte tornam-se imperativos. O Apocalipse, ou seja, a Revelação faz-se cada vez mais clarificada nas consciências que se expandem. E o Fim do Mundo tal qual pelas demandas e desmandos do ego foi construído, está chegando ao fim dando inicio, progressiva e irreversivelmente a um novo Mundo: Novo céu e nova Terra nos quais habitam a justiça.

Fonte- www.stum.com.br/Oliveira Fidelis Filho
Por Mavi Hostettler/www.essencia.ning.com
imagens Internet
******Este trabalho pode ser compartilhado com outros
sites desde que os direitos autorais sejam
respeitado citando a fonte de pesquisa / autor e o link